estamos crescendo, obrigado pela visita

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

IGREJA, MÍDIA E VIDA CRISTÃ - Filipenses 2:1-18


INTRODUÇÃO

Chamamos todos os meios de comunicação, TV, jornal, revistas, internet, etc. de Mídia.
E não tenhamos duvidas a Mídia esta presente em nossas vidas. Conseguiríamos chegar em casa e não ligar a TV pra ver nossos programas preferidos? Irmos ao medico esperar a consulta sem olhar aquelas revistas na sala de espera? Será que alguém conseguiria viver sem internet, ate mesmo aqueles que nunca puderam acessar? É provável que nossas respostas sejam “NÃO”, porque a Mídia faz parte de nossas vidas enquanto cidadãos.
Mas e nossa vida cristã? De que forma a Mídia esta presente na igreja do Senhor?
Se à algumas décadas, ser evangélico era sinônimo de ignorância, hoje os evangélicos estão em todos os lugares: médicos, advogados, juízes, jornalistas, políticos, etc. e os meios de comunicação também fazem parte do nosso meio cristão. Os evangélicos estão na TV, nas revistas, e principalmente na internet, de forma positiva ou negativa.
Na TV existem programas para todos os gostos. Programas para aqueles que precisam receber uma cura, outros para os que querem mudar financeiramente de vida, programas voltados para o publico jovem, outros para o publico adulto e outros que, confesso, até hoje não sei pra quem é direcionado.
Na internet temos inúmeros sites, blogs, site de relacionamento, mensagens, musica e tudo que a gente imaginar. O maior site de relacionamento no Brasil hoje é o Orkut e nós evangélicos estamos lá também. Dificilmente encontramos alguém que não tem Orkut, e este site de relacionamento tornou-se até uma necessidade na vida de muita gente, precisamos do Orkut.
Em meio a todos estes meios de comunicação presente na igreja evangélica, presente na vida de cada cristão fica uma pergunta para nós: Até onde tudo isto tem glorificado a Deus?
Nós evangélicos vivemos dois extremos. Existem aqueles que se “entregam” demais a Mídia, pessoas que não tem noção do perigo que ela pode proporcionar. Conheço meninas que adicionaram comunidades no Orkut que induzem a pornografia virtual, vi uma comunidade no Orkut de uma moça cristã que dizia “se me pega me pega de jeito”.
Outro extremo são os irmãos totalmente contra os meios de comunicação, é inacreditável, mas ainda existem cristãos que acham que TV, computador etc. é pecado, principalmente sites de relacionamento como o Orkut. Conheci um pastor que proibiu os membros de sua igreja de terem Orkut, e disciplinava os irmãos que tivessem. Existem aqueles que dizem ser coisa “da carne”, ou do diabo. A religiosidade os faz achar que o relacionamento com Deus baseia-se em participar ou não dos meios de comunicação.
Mas como devemos nos portar em meio a tudo isso? De que maneira podemos ser cristãos diante da imensidão dos meios comunicativos no mundo de hoje?



VOLTANDO AO TEXTO BÍBLICO (Filipenses 2:1-18)



• Quando Paulo escreveu a carta aos Filipenses estava preso em Roma acorrentado e sendo vigiado por cerca de nove mil soldados (que revezavam entre si). Filipos era uma das principais cidades do primeiro século, era uma chamada, colônia romana e trazia toda a tradição, estilo e modernidade do século I. Ele escreve a uma igreja inserida numa sociedade idolatra, promiscua, soberba, individualista e egocêntrica.
• Neste capitulo dois Paulo fala exatamente do comportamento cristão em meio a toda esta situação. Ele ensina aos filipenses que não importava as condições da cidade, moderna, desenvolvida, idolatra, etc. a igreja precisava fazer toda diferença no meio daquela sociedade. Paulo não manda os irmãos irem embora, ou se isolarem do povo, ele diz “resplandeçam no meio desta geração corrompida e perversa” (grifo meu).

Diante do crescimento e uso dos meios de comunicação (Mídia) Precisamos fazer a diferença na sociedade que vivemos.

De que maneira fazemos a diferença?



I – não deixando a mídia tomar o lugar do relacionamento com o próximo (vs. 1-4).


Por Filipos ser uma colônia romana quem nascia lá tinha automaticamente muitos direitos, a cidade também tinha um bom comercio. Os cidadãos de Filipos eram muito soberbos, se achavam melhores que os outros e os relacionamentos criados na cidade eram comerciais, eram de interesses próprios.

Estas coisas estavam refletindo na igreja, o apostolo escreve e diz que eles precisavam fazer a diferença na forma de se relacionar, que o relacionamento, a comunhão faz a diferença. Mesmo que a cidade fosse soberba e de relacionamentos comerciais os cristãos deveriam ser diferentes, deviam se relacionar em amor e comunhão.

Vivemos no mundo da indiferença, a poetisa Cecília Meireles sabiamente afirmou “no mundo já não se morre de desavenças, o mundo morre de indiferença”. Os meios de comunicação criam isso na mente das pessoas. E a indiferença às vezes toma conta da nossa vida, chegamos e saímos da igreja e não nos importamos com o nosso irmão, somos mais “amigos” dos nossos programas de TV do que das pessoas que convivem conosco.

Estamos construindo relacionamentos virtuais, pois no Orkut, MSN, Twiter, etc. somos os “melhores amigos do mundo”, mas chegamos na igreja e as vezes não olhamos ao lado para dizer “oi”.

Fazer a diferença no meio da sociedade, no nosso Orkut, na nossa TV é não deixar que eles (a mídia) tomem o lugar do nosso irmão. Sentimos tanto quando morre alguém que a gente não conhece (caso Isabela, Michael Jackson, etc), mas às vezes viramos às costas a necessidade do nosso irmão.

Use Orkut, use MSN, use Twiter, mas lembre-se que quem esta do seu lado é mais importante do que todos os meios de comunicação do mundo. Sinta por algum famoso que esta sofrendo, mas sinta muito mais por quem esta perto de você.

Fazer a diferença é viver sem indiferença entre os irmãos.




II – Não deixando a Mídia tomar o lugar de Deus, não tirar o Senhor do centro da nossa vida (vs. 15).


Filipos era uma cidade onde, o dinheiro, o comercio, a idolatria, a soberba, o egocentrismo, etc. eram o centro de tudo. Os cidadãos de Filipos só se importavam com eles mesmos e mais uma vez este sentimento estava sendo refletido na igreja.

Paulo ensina aos irmãos que Deus é quem deve ser o centro da vida, e ele usa o exemplo do próprio Jesus ao dizer “não teve por usurpação ser igual a Deus... esvaziou-se... tornou-se servo...” (vs. 7) e os irmãos deveriam tomar o exemplo do próprio Senhor. Mesmo que Filipos fosse por natureza soberba e egocêntrica, a igreja deveria fazer a diferença.

O homem é naturalmente egoísta, egocêntrico, se importa mais com coisas do que com pessoas. E tantas coisas têm tomado o lugar de Deus na vida das pessoas, seu dinheiro, seus bens, sua fama, a TV, o Orkut, o MSN, o twiter, etc.

Onde Deus tem estado na nossa vida? Será que ao estarmos aqui ele passa a ser o centro, a pessoa mais importante e quando chegamos em casa “vivemos a vida”, fazemos “promessas de amor” ou entramos em “Pânico” enfim deixamos tudo “BBB” e Deus já fica no cantinho. Ou antes mesmo de sair daqui nosso coração já foi tomado pela ansiedade de “tc” ou pela “esperança” de nossos recados terem sidos respondidos. Porque conseguimos passar um dia sem orar ou sem ler a Bíblia, mas não conseguimos passar um dia sem nossa TV e internet.

Não é pecado assistir novelas, ou ver o Zina falar “Ronaldo”, mas Deus tem que ser o centro. Conheço pessoas que se não assistirem o capitulo da novela ficam perturbadas, muitos deixam de vir à igreja por causa da TV ou internet. E se a Mídia tira Deus do centro da minha vida ai devo pesar o que estou assistindo e talvez não assistir mais.

As pessoas precisam olhar para nós e enxergar Jesus, precisam ver em nossas atitudes que Deus é o centro da nossa vida, mas nem por isso deixamos de fazer as coisas, de ver TV ou usar a internet. Fazer a diferença é deixar Deus ser o centro da nossa vida diante dos meios de comunicação.




CONCLUSÃO



o No texto de Filipenses o apostolo Paulo diz uma expressão interessante: “resplandecei como luzeiros no mundo”. A idéia do texto é exatamente de um céu noturno escuro e sombrio, mas que existe algo que faz a diferença, as estrelas, os luminares. Os meios de comunicação têm sido instrumentos do diabo na divulgação e incentivo da violência, homossexualismo, adultério, etc., mas podemos fazer diferente, podemos glorificar a Deus através de nossa TV (não nos conformando com o ensino divulgado por ela), podemos glorificar a Deus através da internet (nosso Orkut pode ser meio de evangelização aos nossos amigos). Ao escrever sua segunda carta a coríntios o apostolo Paulo diz: “quer comais quer bebais ou façais qualquer outra coisa fazei tudo para a gloria de Deus”, quero pedir a devida permissão ao apostolo para parafrasear este texto: “quer assistam TV quer usem a internet façam tudo para a gloria de Deus”.




Edvaldo C.S Filho

2 comentários:

Juventude que sabe adorar! disse...

Forte demais este artigo! Lembro-me do livro que lí ano passado, por título O ESCÂNDALO DO COMPORTAMENTO EVANGÉLICO. Infelizmente temos perdido nossa identidade. identidade perdida, por conta da presença do pecado gerado pelos diversos meios que aqui foram citados, como também além de outros e por conta da ausência de Deus em nós. Como você foi sábio mano! O admiro muito!

zeze_brasil. disse...

Adorei essa matéria. Na verdade, pra mim,foi um lindo sermão.Sermão que muuuuuuuuuuitos estão precisando ouvir.
O que me chama à atenção é o comentário sobre religiosidade. Na minha opinião,o que mais tem afetado o crescimento espiritual dos crentes é eles serem religiosos e não cristãos.Pois cristão é aquele que não ignora tudo,mas de tudo tira o melhor.
Deus continue lhe abençoando.
Vc é especial nessa batalha de mostrar o bom e o ruim neste mundo.
Parabéns!!!!!!!!!!!!!